(11) 2509-3160

Você, certamente, já deve ter observado aquele equipamento portátil que as empresas de fornecimento de água, gás e energia elétrica usam para a coleta do consumo. Esse é o coletor de dados, usado para armazenar informações de forma ágil e simples.

Existem vários tipos e modelos, que variam de acordo com a configuração, robustez, tecnologia e a forma com que ele se comunica. Pode ainda, estar conectado a uma impressora, o que amplia a sua utilização.
Como utilizar um Coletor de Dados

A função primordial do coletor de dados é fazer coleta de informações. Existem duas formas de inserir os dados: através da digitação, conforme o exemplo anterior, ou por meio da leitura de código de barras. Por sua vez, esses dados devem ser transferidos para o software de gestão, que irá processá-los em seguida.

Essa transmissão de dados, dependendo do modelo do coletor, pode ser “on-line”, utilizando rede sem fio (wireless), um verdadeiro terminal ativo de seu computador, ou “batch conhecida também por ” (off-line)“ ou seja os dados são acumulados e posteriormente são transferidos através um cabo ligado ao seu computador.

 

O código de barras

Todos os produtos comercializados pelas indústrias têm um código único, que atende a padrões internacionais e vem representado em barras, o que permite a sua leitura de forma rápida e sem erros. Embora haja vários padrões de códigos de barras, diversas simbologias, muitos são de uso específico a determinadas aplicações, no varejo brasileiro o mais utilizado é o EAN .

Todo coletor de dados tem embutido um leitor desse tipo, que pode ser configurado a critério do usuário. Portanto, o seu coletor está apto a coletar tanto produtos com código de barras EAN quanto produtos com, por exemplo, QRCODE e UPC utilizado pelas indústrias americanas.

 

Aplicação de Coletor de Dados no varejo

Boa parte das rotinas do dia a dia de sua loja trata produtos, seja na conferência dos pedidos, no recebimento de mercadorias e conferência de notas fiscais, no inventário de estoque, na pesquisa de preços, etc. A adequada utilização do coletor proporciona um ganho de produtividade através da agilização de processos, a acuracidade das informações  e da eliminação de erros em lançamentos manuais.

 

Apresentamos algumas aplicações do coletor de dados para o varejo:

 

  1. Recebimento de mercadoria

Todos os itens de uma nota fiscal eletrônica estão disponíveis na NF-e seja gerada pelo fornecedor, o que permite uma conformidade das informações assim que a mercadoria seja entregue em sua loja.

Com o coletor de dados, através dos códigos de barras dos produtos, você faz a leitura dos itens recebidos com as respectivas quantidades. É feita então a comparação dos itens recebidos com os constantes na NF-e. Uma verdadeira “conferência cega”, eliminando a margem parapossiveis erros! Outro ganho é a detecção imediata de novo código de barra para produto já cadastrado, bem como a detecção de eventuais falhas de cadastramento de itens.

 

  1. Gerenciamento físico da loja

Alteração do preço de produto e emissão de etiqueta de gôndola, normalmente realizadas internamente no escritório, passam a ser executadas pelo coletor de dados conectado a uma impressora no salão da loja ou uma impressora portátil tira-colo acoplada através de uma interface bluetooth. Auditoria de precificação, inventários, tanto periódicos quanto rotativos, e pesquisa de preços são executados com uma agilidade jamais comparada feita manualmente.

 

  1. Gestão de vendas na loja

Um orçamento para cliente pode ser feito na loja, com a identificação do produto e seu preço de venda direto pelo coletor de dados.

Outra aplicação já bem conhecida é o “papa-fila”, ou seja, para coletar os itens comprados pelo cliente e posteriormente descarrega-los no caixa. Para transferência de mercadorias entre lojas filiais, antes da própria geração da nota de transferência, pode-se já fazer a montagem da carga com o coletor. A posterior emissão da NF-e será feita automaticamente, bastando informar apenas o número gerado pelo romaneio. São funções que agilizam e minimizam erros.

 

Muito Importante saber que o Coletor de dados SEMPRE precisa estar integrado

O coletor de dados deve sempre estar integrado a um bom software de gestão, para que promova todos os benefícios comentados acima. Ultimamente tem sido constatado que o maior ganho não é apenas a economia de pessoal, mas sim a qualidade das informações. Sabemos sim que é um investimento com retorno garantido.